Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

10 DICAS PARA SERES UM GRANDE ATLETA

por Pedro Caprichoso, em 10.08.15

smf-33322-118-mens-1980s-running-man-costume-700_1

 

Não és superdotado fisicamente e não gostas de treinar? Não faz mal. Isso de treinar a sério e dar o litro nas provas é coisa do passado. Hoje, na era das redes sociais, para ser um grande atleta são necessárias outras competências. Mais do que ser, o que conta é parecer. O que importa, verdadeiramente, é parecer um grande atleta.

 

 

1. PUBLICAR TODOS OS TREINOS NO FACEBOOK

 

O treino rende mais se publicarmos todos os nossos treinos no facebook? Não. Mas isso também não interessa. O que interessa é dar a entender que treinamos muito. Ênfase na quantidade. Nesse sentido, há duas estratégias indispensáveis para aumentar a nossa quilometragem semanal: (1) atarraxar o relógio GPS à bicicleta e publicar o treino de ciclismo como se fosse de corrida; (2) conduzir até ao topo do monte mais próximo, sair do carro, molhar a cara, fazer pose de campeão, tirar uma selfie, publicá-la no facebook e conduzir de volta a casa.

 

 

2. PROTELAR A CRÓNICA DA PROVA

 

O ruído nas redes sociais é ensurdecedor nos dias a seguir à prova, já que a maioria dos atletas publicam as suas crónicas mal rebentam as bolhas do rêgo do cu. De maneira a que a vossa crónica tenha mais impacto, o melhor é deixar assentar a poeira e protelar a sua publicação. Uma semana parece-me razoável. Deixem passar uma semana e, então, terás o destaque merecido.

 

 

3. ESCOLHER AS PROVAS MAIS FÁCEIS

 

Elevar o nosso estatuto de atleta passa por competir em provas de segunda linha. Nestas provas encontramos menos concorrência e a probabilidade de fazermos uma boa classificação aumenta exponencialmente. O ideal é participar nas primeiras edições de provas que se disputem no mesmo dia de provas consagradas. Participem numa prova disputada no mesmo fim-de-semana do Grande Trail Serra de Arga e entrarão no Top10 sem qualquer dificuldade.

 

 

4. PEDINCHAR PATROCINIOS

 

Não tenham vergonha. Liguem para as marcas e façam um choradinho. Podem conseguir um par de ténis da Adipas, uns calções pele-de-cona-de-andorinha, uma sacada de géis com extracto de pau-de-cabinda ou apenas um bidon de vaselina. Não interessa. Tudo o que vier à rede é peixe. Não acreditam nos produtos? Não interessa. Dêem-nos aos vossos amigos. O que interessa é agarrarem todos os patrocínios que conseguirem. Quantos mais, melhor. O meu lema é: atleta patrocinado, atleta valorizado.

 

 

5. ENCHER O FACEBOOK COM PUB

 

Uma vez conquistados os patrocínios indicados no ponto anterior, há que promovê-los nas redes sociais. Gosto particularmente dos atletas cujas publicações vêm sempre acompanhadas por algum tipo de product placement. Olhem para ele, de férias, no Algarve, deitado na espreguiçadeira com um bidon de isostar ao lado. Todos sabemos que atrás do bidon está um cocktail de rum com laranja e coca-cola, mas não faz mal. Não esquecer os cardinais: usem e abusem dos cardinais. É para isso que eles servem.

#sopadamama

#meiadaraquete

#adipas

 

 

6. ENFAIXAR-SE COM BANDAS NEUROMUSCULARES

 

Comprem 10 rolos de fita neuromuscular e enrolem-se nela em dias de prova. O objectivo é cobrir a maior área possível do vosso corpo e transformarem-se numa múmia. Quanto mais coloridas as bandas, melhor. Se não tiverem dinheiro para comprar as bandas, usem fita-cola isolante. O efeito é o mesmo.

 

 

7. COLOCAR O NOME NO EQUIPAMENTO

 

Ter o equipamento personalizado com o vosso nome dá logo outra imagem. É de profissionalismo que falamos. Se der para adicionar o grupo sanguíneo como fazem os pilotos de rally, melhor ainda.

 

 

8. PUBLICAR LESÕES

 

Os grandes atletas andam sempre lesionados. Estudos indicam que a foto de uma entorse equivale, no facebook, a pelo menos 100 likes. Se estiver roxa, são mais 50. Se tiveres dificuldade em te lesionar, não desesperes. Faz assim: veste uma camisola do Benfica por baixo do casaco, vai às compras ao mercado do bulhão e depois tira o casaco. Nada mais fácil.

 

 

9. CRIAR PÁGINA DE ATLETA

 

Atleta que é atleta tem página de atleta. Não corres um peido? Melhor ainda. Pois assim as pessoas ficam a saber que és atleta – coisa que até aí desconheciam. Trabalho é trabalho, conhaque é conhaque, cafuné é cafuné e fasceíte plantar é fasceíte plantar. Convém separar as coisas. Temos, portanto, o Zé Povinho–Pessoa e o Zé Povinho–Atleta. Num dia são pessoas; no outro são atletas – e assim é que deve ser.

 

 

10. CRIAR UM BLOGUE

 

Tomem como exemplo este pardieiro. Não preciso de dizer mais nada, pois não?

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D