Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

Equipamento facultativo para os Abutres

por Pedro Caprichoso, em 30.01.15

O Zé Povinho–Atleta tem o hábito de publicar nas redes sociais uma foto com o equipamento que vai utilizar na sua próxima prova. O TopMáquina, enquanto Zé Povinho–Atleta que é, também resolveu participar. No entanto, em vez do equipamento obrigatório, resolvemos publicar uma foto do equipamento facultativo.

 

Equipamento Abutres.jpg

 

Legenda:

 

  1. Boné Gay – para fazer com que os vossos adversários pensem 2 vezes antes de vos ultrapassarem. Pensem nisto: quem quer ter um gajo com um boné destes a fazer-lhe marcação cerrada por trás durante a prova? Eu não.

 

  1. Almofada para as hemorróidas – para amortecer os bate-cus nas descidas. Atenção: os bate-cus vão ser uma constante.

 

  1. Sunga Speedo – para ultrapassar com estilo os inúmeros cursos de água sem pé. Sim, estão previstos cursos de água sem pé. O estilo bruços (vulgo, nadar à rã) é o estilo aconselhado pela Organização.

 

  1. Comprex – o preservativo com propriedades compressivas para fazerem o truca-truca em segurança. Se fizerem o truca-truca no solo duro, utilizem o Comprex em conjunto com o equipamento indicado no ponto 2 a fim de prevenir a ocorrência de eventuais hematomas no rabinho.

 

  1. Chuteiras de pitons de alumínio – para garantir a melhor aderência possível na lama.

 

  1. Extracto bancário – para assustar os animais selvagens que connosco se cruzem durante a prova. Mostrem-lhes o vosso extaracto que eles fugirão a sete pés. 

 

  1. Doping – para aumentar a nossa performance desportiva de maneira a conseguirmos entrar no Top 100. Não se preocupem que no âmbito do Trail ainda não se fazem controlos antidoping.

 

  1. Empenex – para combater o vírus do empeno.

 

  1. Vaselina Pacu – para evitar as assaduras no rêgo do cu devido à fricção produzida pelas nalgas ao rasparem uma contra a outra.

 

10 Dicas para os Trilhos dos Abutres.

por Pedro Caprichoso, em 29.01.15

   

  1. Se já estão a sentir aquele friozinho na barriga, ide ao médico. Provavelmente são gases.

 

  1. Muita atenção à fricção produzida pelas nalgas ao rasparem uma contra a outra, pelo que vos aconselho a passarem creme antifricção no rêgo do cu.

 

  1. Devido à lama, o calçado mais indicado para os Abutres são as chuteiras de pitons de alumínio. Afiem os pitons com uma rebarbadora.

 

  1. Dopem-se. Só os estúpidos é que não se dopam. O doping melhora a performance desportiva e no âmbito do Trail ainda não são feitos controlos antidoping. Por isso, estão à espera do quê?

 

  1. Rezem 2 Pais-Nossos e 2 Avé-Marias antes da prova. Se Deus não existe, não perdem nada. Se Deus existe, pode ser que ganhem a prova.

 

  1. Adicionem uma almofada para as hemorróidas à vossa lista de material obrigatório. Antes de iniciarem uma descida, enfiem-na entre os calções e o rabo para amortecer as quedas. Preparem-se: os bate-cus vão ser uma constante. Em alternativa às almofadas de hemorróidas, utilizem uma almofada de pescoço – daquelas que se utilizam nos aviões para evitar torcicolos.

 

  1. Se derem de focinhos com um lobo no meio do monte, não lhe mostrem o rabo. Os rabos humanos não assustam os lobos. Mostrem-lhe antes o vosso extracto bancário.

 

  1. Evitem fazer o truca-truca na véspera da prova, especialmente se utilizarem o solo duro. Respeitem os outros. Há gente ao vosso lado que quer dormir.

 

  1. Se tiverem mesmo de fazer o truca-truca, usem Comprex – o preservativo para o Trailer do Século XXI – com Penis Compression Technology.

 

  1. Para se protegerem contra o vírus do empeno, tomem 2 comprimidos de Empenex 2 horas antes da prova. Os efeitos secundários do Empenex são residuais, tais como a «Ilusão de que se é um grande atleta» e possível «Mudança abrupta de sexo».

Antevisão dos Trilhos dos Abutres

por Pedro Caprichoso, em 28.01.15

A 3 dias dos Trilhos dos Abutres, o TopMáquina faz a antevisão da primeira prova do Circuito Nacional de UltraTrail.

 

Os especialistas prevêem que esta possa ser a prova de UltraTrail mais competitiva de sempre. Vai lá estar toda a gente. O destaque vai, como é evidente, para o clã Serrazina (Luís Serrazina, Jorge Serrazina e Glória Serrazina), para o clã Rodrigues (André Rodrigues, Jérôme Rodrigues e Pedro Rodrigues) e para o clã Silva (Nuno Silva, Ricardo Silva e Carlos Natividade Silva).

 

Segundo os mesmos especialistas, a vitória será decidida entre estes 9 atletas. Poderão, no entanto, surgir algumas surpresas. Para além da Analice, que regressa à competição após 2 meses de suspensão por controlo antidoping positivo, há outro underdog a ter em conta. Falamos, como é evidente, de Pedro Caprichoso.

 

O atleta da Juventude Vidigalense, 19.º classificado no último Campeonato Nacional, teve uma pré-epoca de encher o olho. Pedro Caprichoso venceu a sua primeira prova de UltraTrail no passado dia 12 de Janeiro. O UltraTrail Serra do Ladário ficou marcado por muito público, muitos voluntários e muito apoio popular, embora o número de participantes tenha ficado aquém do esperado, pois só 1 atleta se apresentou à partida. Ei-lo em acção:

 

[As imagens que se seguem podem ferir a susceptibilidade dos leitores mais sensíveis. Devido aos calções à homem que surgem nas imagens, este vídeo apresenta conteúdo para adultos, sendo apenas indicado a maiores de 18 anos com as vacinas em dia.]

 

 

Quanto à classificação colectiva, a equipa EDV-Viana Trail chega aos Abutres como favorita após ter vencido o Campeonato Nacional da época passada. Para além de terem uma camisola nova com tratamento antibacteriano, a equipa de Viana do Castelo fez excelentes contratações no defeso. O destaque vai para Telmo Sampaio Ferreira, o homem que corre com as vacas – e as come de seguida.

 

10154523_10152531278698530_8945800688011237398_n.j

O TopMáquina faz 1 mês de Aniversário

por Pedro Caprichoso, em 27.01.15

O TopMáquina celebrou ontem o seu primeiro mês de aniversário. Um mês cheio de amor, carinho, sexo, drogas e Tony Carreira. Tivemos cerca de 1,3 milhões de visitas em 31 dias, o que dá uma média espectacular de 43 mil visitas por dia. Muito obrigado. Este resultado também é vosso.

 

Sem Título.jpg

 

Ainda nos passou pela cabeça vendermos a nossa alma ao diabo do Capitalismo e pôr publicidade no bolg. A verdade é que não precisamos. O apoio financeiro providenciado pelos nossos patrocinadores é mais do que suficiente. Sem os nossos patrocinadores nada disto seria possível. Obrigado «Adipas», obrigado «Meia da Raquete» e obrigado «Sopa da Mamã».

 

PO2.png

 

Para além disso, as gajas boas que já papámos à conta do blog são recompensa mais do que suficiente.

 

fat and ugly 1.jpg

 

Agradecemos a vossa preferência e reafirmamos o nosso juramento de ética jornalista: a verdade acima de tudo, sem nunca esquecer o respeito à moral e aos bons costumes.

 

Com o vosso apoio, contamos chegar aos 2 meses de aniversário. Não vai ser fácil, mas temos esperança.

 

Um xi-coração apertadinho!

I Trail Run | Penafiel

por Pedro Caprichoso, em 26.01.15

trailrunpenafielrun_15.jpg

 

Realizou-se ontem a primeira edição do «Trail Run | Penafiel». Infelizmente, por falta de meios humanos, o TopMáquina não conseguiu enviar nenhum correspondente a Penafiel. Estavam todos em Vila Nova de Cerveira, a cobrir o conflito militar entre Portugal e Espanha provocado pela equipa EDV- Viana Trail. Mais desenvolvimentos aqui.

 

Mal a prova terminou, a página do evento no facebook foi inundada com comentários cujo conteúdo varia entre a indignação, a raiva, o insulto e a oferta de porrada à Organização. Perante tal feedback, o Director do evento emitiu um comunicado onde reconhece os erros cometidos e pede desculpa pelos mesmos. Esta estratégia porém não resultou, já que os comentários ao Comunicado seguiram a mesma linha. Para terem uma ideia, “incompetentes” é o adjectivo mais soft com que a Organização foi brindada.

 

Penafiel.jpg

 

O TopMáquina, enquanto órgão de comunicação social sério, não se pode porém cingir às redes sociais. Realizámos por isso uma investigação mais aprofundada do caso: fomos a Penafiel, recolhemos mais testemunhos e conseguimos chegar à fala com a Organização do evento para saber o outro lado da história. E, em posse de todos os dados, chegámos à seguinte conclusão:

 

Pese embora os comentários supracitados, a nosso ver são injustas e totalmente injustificadas as acusações feitas à Organização do «I Trail Run | Penafiel». Pois se é verdade algumas coisas correram mal, é também verdade que houveram outras que correram bem.

 

Sim, não houve controlo 0, nem pórtico, nem abastecimentos suficientes, nem cerimónia de pódio, nem lembranças, nem prémios para os primeiros, a GNR não apareceu para garantir a segurança dos atletas e há relatos de atletas lesionados que não foram socorridos. Tudo isso é verdade? É.

 

Acontece que também houveram coisas que correram bem, tais como:

 

  • O evento chama-se «I Trail Run | Penafiel» e realizou-se em Penafiel. Finalmente uma prova cujo nome coincide com o local onde é realizada. Pessoalmente, estou farto de provas cujo nome remetem para o Alentejo e depois se realizam em Trás-os-Montes. Quem não se lembra do «I Trail de Beja» que se realizou em Montalegre – e que levou metade dos atletas ao engano?
  • A Organização contratou um speaker com voz estridente. Como todos bem sabem, a presença de um speaker é meio caminho andado para o sucesso de uma prova de Trail.
  • Ao contrário da força de intrevenção da GNR, a Organização garantiu a presença da força da gravidade, que manteve os atletas em constante contacto com o solo. Se isto não é sinal de profissionalismo, então não sei o que o seja.
  • O Comunicado de desculpas pós-prova está muito bem escrito. Nem um erro ortográfico. Só por isto se vê a classe de uma Organização.
  • Não houve tiro de partida – e isso foi uma coisa boa. Por quê? Porque estava previsto que o tiro de partida fosse dado por um invisual com uma caçadeira de canos cerrados. Assim, perante o risco do cego limpar o sebo a alguém, o tiro de partida foi cancelado. Foi uma decisão sensata. Mas isso ninguém vê.
  • Ocorreu algum desastre natural durante todo o evento? Não. Mas não vemos ninguém a elogiar a Organização por causa disso.
  • A organização não recusou o dinheiro de nenhum dos participantes. Podia, mas não o fez.
  • A foto de perfil do facebbok do Director da Prova é espectacular. Apreciem-na.
  • A desmontagem da zona de meta foi rapidíssima, embora as más línguas digam que tal aconteceu porque a Organização estava a fugir de um grupo de atletas que lhes queriam fazer a folha. Seja como for, foi rapidíssima.
  • L’Organisation est Charlie, pois defende a liberdade de expressão de todos os atletas quando diz que não apagará qualquer comentário da sua página de facebook.
  • Por não haver a certeza de quem ficou em 1º, 2º e 3º lugar, os prémios serão sorteados por todos os inscritos. Ou seja, ficam todos a ganhar.

Espanha declara guerra a Portugal por culpa do EDV-Viana Trail

por Pedro Caprichoso, em 25.01.15

 

A equipa EDV-Viana Trail efectuou hoje uma free run em Vila Nova de Cerveira com vista a estrear a sua nova camisola. Ver mais sobre a nova camisola aqui.

 

O evento reuniu todos os 894 atletas da equipa de Viana do Castelo, que se realizou no Monte do Crasto, o ponto mais alto do concelho, onde surge um imponente Cervo (escultura em ferro de José Rodrigues), símbolo de Vila Nova de Cerveira.

 

12047923_DPYPh.jpeg

 

No momento em que os atletas do EDV-Viana Trail desciam o Monte do Castro em direcção ao rio Minho – que ali serve de fronteira entre Portugal e Espanha –, as autoridades espanholas identificaram-nos via binóculos e entraram em pânico, pensando que o seu país estava a ser invadido por um grupo armado com mochilas de hidratação, buffs e relógios GPS.

 

Espanha activou então o alerta vermelho, fazendo deslocar os seus 5 submarinos para a foz do rio Minho. Em resposta, Paulo Portas deu ordem para enviar os nossos 2 submarinos – o “Tridente” e o “Arpão” – para fazer frente aos espanhois. No entanto, ambos encontram-se inoperacionais, já que não há dinheiro para a sua manutenção.

 

submarino-portas-caricatura.jpg

E agora, por causa de uma equipa de Trail, encontramo-nos perante uma crise diplomática sem precedentes, com Espanha a declarar guerra a Portugal.

 

Em suma, podemos concluir que a EDV-Viana Trail não é uma equipa; é um exército.

Emelie inspira-se em Carlos Sá

por Pedro Caprichoso, em 24.01.15

Emelie-cool.jpg

 

Inspirada por Carlos Sá e o Grande Trail Serra d’Arga, Emilie Forsberg acaba de anunciar, na sua página do facebook, que vai esperar na meta por todos os atletas que terminarem a Tromsø SkyRace 2015. A prova organizada pela aleta sueca disputar-se-á no próximo dia 2 de Agosto, e Emelie promete que vai cumprimentar todos os finishers com dois beijinhos.

 

Mas Emelie irá mais longe. O regulamento do Tromsø SkyRace 2015 prevê prémios especiais para os atletas que terminarem no pódio. A saber:

 

1.º Lugar: Um chocho;

2.º Lugar: Um xi-coração;

3.º Lugar: 15 minutos de cafuné;

 

Perante tais prémios, as inscrições do Tromsø SkyRace 2015 esgotaram em 52 minutos. Joel Martins, o Presidente do Clube de Fãs da Emelie Forsberg, é um dos sortudos que marcará presença na prova norueguesa. Joel hipotecou a casa, o carro e o piriquito para pagar os custos associados à sua participação. «Vale a pena», disse ele aos microfones do TopMáquina.

A nova camisola da EDV-Viana Trail

por Pedro Caprichoso, em 24.01.15

1508621_10203879748978478_1461022640316221971_n.jp

O TopMáquina assistiu, ontem, à apresentação oficial da nova camisola da equipa EDV-Viana Trail.

 

Agradecemos o convite que nos foi endereçado pela Direcção da equipa de Viana do Castelo. Foi uma cerimónia bonita, sexy e bem servida pelo catering da Pastelaria Ameadella.

 

A nova camisola apresenta muitas novidades: são feitas em Barcelos, na mesma fábrica em que são desenvolvidas as camisolas do Usain Bolt; são fabricadas com tecido Salomon com tratamento antibacteriano; e apresentam a bandeira de Portugal na manga esquerda.

 

Mal soube que têm tratamento antibacteriano, André Rodrigues encomendou 200 camisolas iguais para a Juventude Vidigalense – pois com tratamento antibacteriano o bicho-do-pinheiro não lhe pega. Relembro que André Rodrigues foi mordido por um bicho-do-pinheiro após se espetar contra um pinheiro no «Trail do Centro Vicentino da Serra». Ver mais aqui.

 

A única desvantagem, do nosso ponto de vista, é que o novo design das camisolas deixa pouco espaço para tanto patrocínio. Nesse sentido, a EDV-Viana Trail já começou a procurar alternativas, tais como: tatuar novos patrocínios nas pernas musculadas do Gabriel Meira, na careca do Jerôme Rodrigues ou pendurar autocolantes na barba do José Faria.

O TERCEIRO SEGREDO DO TRAIL

por Pedro Caprichoso, em 23.01.15

mo.jpg

O chamado «Terceiro Segredo do Trail» é a terceira parte do Segredo revelado a 3 crianças portuguesas – a.k.a. “Os 3 Atletazinhos”. O segredo foi-lhes revelado no dia 13 de Julho de 2013, na Frecha da Mizarela. De Maio a Outubro de 2013, as 3 crianças afirmaram ter testemunhado a aparição de «um senhor mais brilhante do que o sol». Sabemos hoje que esse senhor era Marco Olmo – o padroeiro dos Trailers.

 

Relembro que a primeira parte do segredo augurava que “O Anjo da Morte marcará presença nas provas de Trail cujas Organizações negligenciem a segurança dos Atletas”. A segunda parte vaticinava que “Muitos Santos do Mundo do Trail cairão em desgraça assim que se começarem a efectuar controlos anti-doping.”

 

A terceira parte do Segredo foi hoje finalmente revelada, em documento escrito, por Máquina Fonseca da Silva, a mais velha das 3 crianças. Nele se lê:

 

««Escrevo em acto de obediência a Vós, Deus da Montanha, que mo mandais por meio de sua Excelência, o Senhor Presidente da ATRP.

 

Depois das duas partes que já expus, vimos um Anjo ao lado esquerdo de São Olmo, com uma espada de fogo na sua mão esquerda. Ao movê-la, o Anjo projectava chamas que pareciam que iam incendiar o mundo, mas que logo se apagavam ao entrarem em contacto com o brilho que da mão direita expedia São Olmo. O Anjo, apontando com a mão direita para a terra, disse com voz forte:

 

Antentai, pecadores, ao que vos direi de seguida, porquanto jamais de outra boca ouvirão semelhante sabedoria:

 

A coisa mais importante para correr bem nos trilhos é... meter uma perna à frente da outra.

 

E mais acrescentou:

 

É ridícula a quantidade disparatada de textos, artigos e conselhos sobre a corrida que podemos encontrar na Internet, tendo em conta que o acto de correr é das coisas mais simples e naturais que o ser humano pode fazer.

 

Ele é a dieta sem glúten, as meias e calções de compressão, "As 10 dicas para fazer a sua primeira Maratona", "Os 5 melhores exercícios de alongamentos", os ténis para pronadores, os ténis para supinadores, os suplementos alimentares, os relógios GPS e os medidores de batimento cardíaco.

 

Dou de barato que todas estas "dicas" ajudem ao nível do desempenho desportivo, e percebo a obsessão por tudo o que envolve a corrida no caso dos atletas profissionais, que vivem de um desporto cujas diferenças estão nos detalhes. 

 

Já no caso dos atletas de pelotão, que não têm qualquer ambição competitiva, não percebo. Sinceramente, não percebo. Mas alguém acha, mesmo, que é por seguir determinada dieta, tomar suplementos ou usar meias de compressão que vai conseguir baixar das 3 horas na Maratona ou acabar a sua primeira Ultra?

 

A nível desportivo, podemos seguir à risca todas as recomendações que, no fim do dia, o que conta é o treino. Por outro lado, não se esqueçam por que é que corremos. Corremos porque gostamos – e o gosto vem, necessariamente, da simplicidade que passa por meter uma perna à frente da outra. Apenas isso.

 

Não sei, para concluir, como pode alguém tirar prazer da corrida andando constantemente obcecado com aquilo que coloca dentro e sobre o seu corpo.

 

Abençoados sejam.»»

Mercado de Transferências do Trail Nacional

por Pedro Caprichoso, em 22.01.15

O mercado de transferências do Trail Nacional está ao rubro.

 

Primeiro foi Délio Ferreira que assinou a custo zero pela Juventude Vidigalense, numa manobra de génio de André Rodrigues, que parece ter tanto talento para empresário quanto para se espetar contra pinheiros.

 

Depois foi a transferência recorde do Diogo Fernandes dos «Offtel Runners» para a equipa do Sôtor Eduardo Merino. A «Run & Shine» teve de desembolsar 40 milhões para cobrir a cláusula de rescisão do atleta de Santo Tirso.

 

E agora temos a contratação da Ester Alves pela «Salomon Suunto». O negócio entre o «Desnível Positivo» e a «Salomon Suunto» envolveu 10 milhões mais o empréstimo de Anna Frost à equipa portuguesa até ao fim da época de 2015.

 

A redacção do TopMáquina vem por este meio parabenizar a Ester Alves. Muitos parabéns. Veio tarde.

 

10926194_689716911126881_3799090499758894680_n.jpg

 

Uma vez que ainda não há muitas mulheres a fazerem Trail em Portugal, aconselhamos a Ester a começar a encarar as provas à geral. No estrangeiro a história é outra, porque a competição é forte. Mas em Portugal há que encarar os homens como o sexo fraco – e derrotá-los sem piedade. Acreditamos que ainda te vamos ver no pódio do UTMB.

Os Melhores da Corrida 2014

por Pedro Caprichoso, em 21.01.15

Os melhores da corrida 2014.jpg

 

O running blog «Correr na Cidade» divulgou, no passado dia 19 de Janeiro, os Melhores da Corrida de 2014. Tendo por base um inquérito com 1.079 respostas, os resultados obtidos elegeram como melhor prova de Ultra-Trail o “Oh Meu Deus!”, seguida pelo “Grande Trail Serra d’Arga” e o “Ultra-Trilhos dos Abutres”. Ver aqui.

 

Estes resultados caíram que nem uma bomba no seio da comunidade do Trail Nacional. Perante a estupefacção geral, há relatos de gente que estava a comer uma barra energética enquanto lia a notícia e se engasgou; gente que estava a beber, cuspiu por reflexo e borrou o monitor do computador com powerade azul; e gente que estava prestes a ir fazer o amor e perdeu a vontade. Isto não se admite.

 

Apoquentada pelo bem estar dos nossos leitores, a redacção do TopMáquina entrou em contacto com os responsáveis do supracitado blog. Em comunicado, estes informam que os resultados não são representativos do Universo do Trail Nacional:

 

«Os resultados não são representativos, já que 52% das respostas foram submetidas por membros da Igreja Católica. A nosso ver, tal situação deveu-se ao anúncio de que o Papa Francisco virá a Portugal participar no “Oh Meu Deus” – Ultra Trail Serra da Estrela.» Mais informação sobre a vinda do Papa a Portugal aqui.

 

Com efeito, só assim se explica de que forma é que o «Oh Meu Deus» foi considerada a melhor prova de 2014.

 

Ámen.

Calções à homem

por Pedro Caprichoso, em 20.01.15

Todos temos conhecimento da enorme tragédia que hoje afecta o mundo da corrida. Refiro-me, como é evidente, à moda dos calções compridos que congestionam as estradas e trilhos deste nosso Portugal.

 

Expliquem-me uma coisa: nós vamos para o monte correr ou jogar basquetebol?

 

Os calções querem-se curtos e funcionais. Isso dos calções de lycra justos e calções de basquetebol é para meninos. Os duros usam calções de atletismo. À homem.

 

Um calção só é calção quando através dele se consegue vislumbrar o "abono de família" de um gajo, caso o gajo se descuide. Isso é um calção. Mais do que isso são calças pelo joelho.

 

Façam-me um favor: ide ao baú dos vossos pais, peçam-lhes emprestados os calções que eles usavam nos anos 70 e acabem com esta tragédia.

 

Ponham os olhos no grande Rui Luz. Isto, sim, são calções à homem!

 

10906238_790891254321880_1086965046908042069_n.jpg

TRAILER LOVE

por Pedro Caprichoso, em 19.01.15

[Peço desculpa a todos os apaixonados por reboques (“trailers” em inglês) que chegaram a este texto através do Google. Embora seja um tipo de amor que eu aprecio particularmente, este texto não é sobre o amor aos reboques.]

MBL-trail-running-with-love-700x393.jpg

 

Um dos erros mais comuns cometidos pelos Trailers é deixarem-se apaixonar por um Trailer. Um Trailer deve evitar a todo o custo apaixonar-se por outro Trailer. Não vai resultar. Metam isso na cabeça.

 

É fácil de perceber as razões que fazem do Trail um desporto propício ao amor. As calças de lycra justas, os rabos salientes, os tops convidativos, o ar da serra e a libertação de dopamina associada ao exercício são o combustível que faz acender o fogo da paixão. Há que por isso saber resistir à tentação.

 

Isso de um casal ter interesses em comum é treta. É bonito na teoria, mas na prática não funciona. Não funciona porque é suposto o Trail servir para libertar o stress, esquecermos os nossos problemas e estarmos connosco próprios. E como podemos nós fazer isso com a nossa mulher a azucrinarmo-nos a cabeça?

 

– Não levas Mochila de Hidratação? – pergunta ela.

– Para quê? Vamos só fazer 10km – responde ele.

Para quê? E se te der vontade de aliviar a tripa? Onde é que levas o papel higiénico?

– Não levo. Não preciso. As folhas de eucalipto servem para o efeito.

– A sério? Folhas de eucalipto?

– Para limpar o rabo são top! Para além da capacidade de absorção, deixam “aquele” cheirinho.

– Faz como quiseres, mas se depois quiseres papel higiénico não mo peças a mim.

 

E assim, num piscar de olhos, antes mesmo de começar, já temos o treino estragado.

Os 10 Mandamentos do Trail Running

por Pedro Caprichoso, em 17.01.15

Os 10 Mandamentos do Trail Running é o nome dado ao conjunto de leis que, segundo o regulamento do UTMB, teriam sido originalmente escritos pelo Deus da Montanha em tábuas de pedra (as Tábuas da Lei) e entregues ao profeta Marco Olmo.

 

Os 10 Mandamentos resumem a Lei dada pelo Deus da Montanha à comunidade do Trail por meio de Marco Olmo. Ao apresentar os mandamentos do amor ao Deus da Montanha (os 4 primeiros) e aos outros atletas (os restantes 6), Olmo define, para a comunidade do Trail em geral e para cada Trailer em particular, o caminho de uma vida liberta da escravidão do sedentarismo.

 

Untitled.png

O VÍRUS DO EMPENO

por Pedro Caprichoso, em 16.01.15

Cartoon-Virus-01b.jpg228ed004-7a41-4756-ac0f-aa7fa

 

O mesmo laboratório que criou o medicamento contra o Ébola informou, esta sexta-feira, que está a desenvolver uma droga contra o vírus do Empeno. A droga, ainda em fase experimental, desenvolvida em colaboração com uma empresa de Ermesinde, é produzida a partir de folhas de bananeira, sal marinho e embalagens vazias de géis.

 

Segundo a ATRP, só em Portugal o número de baixas da epidemia do Empeno já ultrapassa os 2 milhares. A pedido da ATRP, a Directora-Executiva da Organização Mundial de Saúde (OMS) autorizou o envio para Santo Tirso de doses suplementares da droga experimental.

 

Dado o seu historial com o vírus do Empeno, Diogo Fernandes voluntariou-se para ser a primeira cobaia humana a testar a droga que promete revolucionar o mundo do Trail. O atleta de 27 anos, que contraiu o vírus na Serra de Santo Tirso, onde treina regularmente, foi o primeiro português infectado com o vírus do Empeno desde o início da epidemia que teve origem nos Estados Unidos, em finais dos anos 70.

 

A droga foi testada em ratos e já se conhecem alguns dos efeitos secundários do Empenex:

 

  • Ilusão de que se é um grande atleta;
  • Dor aguda nas unhas dos pés;
  • Fadiga entre o meio-dia e as duas da tarde;
  • Queimaduras nas virilhas, sovacos e rêgo do rabo;
  • Dormência dos lóbulos das orelhas;
  • Perda de auto-estima ;
  • Depressão pós-masturbação;
  • Inflamação dos mamilos;
  • Infertilidade às segundas-feiras;
  • Impotência ao terceiro domingo de cada mês;
  • Mudança abrupta de sexo;
  • Queda temporária dos pêlos púbicos;
  • Sangramento e diarreia através do umbigo;

PARAR O RELÓGIO DURANTE O TREINO

por Pedro Caprichoso, em 15.01.15

Ao correio electrónico do TopMáquina chegam-nos diariamente centenas de mensagens. A maioria são ameaças de morte e convites de cariz sexual. No entanto, muito de vez em quando, lá aparece um email interessante. Transcrevo em baixo o email do leitor Pedro Cruz:

Sem Título.png

Amigo Pedro,

 

Antes de mais, lamento informar mas não se diz "à algum tempo". O correcto é "há algum tempo". Vamos mandar emails ao TopMáquina? Vamos. Mas em bom português, se faxa o fabor. 

 

Quanto à tua questão, a resposta é simples: é tudo uma questão de bom senso.

 

Não é aceitável parar o relógio para acudir a situações supérfluas, tais como: (1) mijar, (2) beber água, (3) atar os ténis, (4) tirar merda de cão da sola das sapatilhas, (5) tirar uma pedra de dentro das sapatilhas, (6) cair num buraco ou (7) ser atropelado por um autocarro escolar.

 

Por outro lado, é do meu ponto de vista perfeitamente aceitável parar o relógio para atender a situações de vida ou morte, tais como: (1) parar para engatar uma gaja boa, (2) tirar as cuecas do rêgo do rabo, (3) coçar o escroto, (4) tirar uma selfie, (5) reduzir o ritmo para seguir atrás de uma gaja com um rabo jeitoso ou (6) parar para ver a nossa imagem reflectida na montra de uma loja.

 

Pedro, espero que esta resposta te tenha ajudado.

 

Um xi-coração apertadinho.

SELFIE DO RELÓGIO DO ZÉ POVINHO–ATLETA

por Pedro Caprichoso, em 14.01.15

O Zé Povinho–Atleta tem o hábito de regularmente colocar nas redes sociais uma selfie do seu relógio GPS. Eu, como Zé Povinho–Atleta que sou, também decidi participar. Tentem fazer melhor do que isto: 331km em 10h36 (média de 1:55/km).

Rolex.jpg

 

Está decidido: vou mandar esta selfie para a Organização do UTMB. Também eu me candidatei à prova rainha do UltraTrail, mas tive azar no sorteio e fiquei de fora. Agora, depois de verem esta selfie, até me vão dar um dorsal VIP. Inveja?

 

P.S. Garmin e Suunto é para pobretanas. Comigo é só de Rolex para cima.

André Rodrigues – O «Homem Bicho»

por Pedro Caprichoso, em 12.01.15

André Rodrigues espetou-se contra um pinheiro no «Trail do Centro Vicentino da Serra», a contar para o Circuito Nacional de Trail. Do acidente não resultou nenhuma lesão grave. No entanto, por precaução, o atleta de Arganil foi posteriormente sujeito a uma bateria de exames no Hospital de Portalegre. Os exames concluíram que o André foi mordido por um bicho-do-pinheiro.

 

10447106_791613487559678_3509029482200958748_n.jpg

 

Na fotografia acima publicada podemos observar uma substância branca no canto da boca de André Rodrigues. Inicialmente pensou-se que tal fossem migalhas das fatias de pizza que a organização colou nas fitas de sinalização para evitar que o André se perdesse durante a prova. Agora sabemos que se tratou de uma reacção alérgica à mordidela do bicho-do-pinheiro.

 

lagarta-pinheiro.jpg

 

À semelhança do que aconteceu a Peter Parker, que foi mordido por uma aranha e se transformou no «Homem Aranha», André Rodrigues foi mordido por um bicho-do-pinheiro e transformou-se no «Homem Bicho». Ao transformar-se no «Homem Bicho», o André ganhou poderes sobre-humanos, conseguiu recuperar do acidente e ainda foi a tempo de ganhar a prova.

 

A ATRP instaurou entretanto um processo disciplinar a Pedro Rodrigues e Luís Semedo. Em vez de prestarem assistência ao André, que se esvaia em sangue e se transformava no «Homem Bicho», estes continuaram a sua prova como se nada fosse – e agora arriscam uma pena de 6 a 12 meses de suspensão.

 

O Trail do Centro Vicentino da Serra ficou marcado por 24 acidentes, todos envolvendo atletas do sexo masculino. Testemunhas no local apontam a indumentária da Tuxa como a causa provável dos acidentes. É o que acontece quando desviamos os olhos do trilho para micar uma mulher jeitosa e nos espetamos contra um pinheiro.

 

10906016_1041412585885420_3765809599278272663_n.jp

 

Nota: O mais engraçado no meio disto tudo é que o André Rodrigues espetou-se mesmo contra um Pinheiro.

Corredor Vs Runner

por Pedro Caprichoso, em 10.01.15

Untitled.jpg

 

Corredor:

Runner:

   

É aquele que corre;

É aquele que faz running;

 

Faz treinos;

 

Participa em Free Runs;

 

Não tem Plano de Treino;

 

Plano de Treino preparado por um Personal Trainer;

 

Nunca entrou num Ginásio;

 

Faz Running numa passadeira de ginásio;

 

Sapatilhas de 40€ do Lidle;

 

Sapatilhas de 120€;

 

Possui 2 pares de sapatilhas: 1 par para treinar

e 1 par para competir;

 

Possui 10 pares de sapatilhas: 4 pares para treinar, 3 pares para competir e 3 para se exibir;

 

Relógio CASIO adquirido na Feira de

Ponte de Lima;

 

Relógio GPS de 400€;

 

Calções Curtos;

 

Calções de Lycra;

 

Meias da Raquete;

 

Meias de Compressão;

 

Pernas peludas;

 

Pernas depiladas;

 

Chega às provas com mais 15 numa

Renault Transit a cair de podre;

 

Chega às provas de BMW;

 

O que é um Iphone?

 

Iphone atarraxado ao antebraço;

 

Bebe café antes da prova;

 

Bebe isotónico antes da prova;

 

Faz alongamentos;

 

Faz selfies;

 

Papa Francisco no "Oh Meu Deus"

por Pedro Caprichoso, em 08.01.15

12.jpg

 

A primeira visita do Papa Francisco a Portugal realizar-se-á em 2017, ano em que se comemora o Centenário das Aparições de Fátima. A notícia da vinda do Sumo Pontífice ao nosso país já foi confirmada pela «Agência Ecclesia», que ainda não avançou uma data específica.

 

No entanto, para espanto da Igreja Católica Portuguesa, o Papa anunciou que não estará presente no Santuário de Fátima. A razão da sua vinda a Portugal é outra. O Santo Padre virá a Portugal participar no “Oh Meu Deus” – Ultra Trail Serra da Estrela.

 

“Jesus Cristo apareceu-me numa visão e disse-me para participar numa prova de Trail. Após pesquisa no Google, descobri o “Oh Meu Deus” e fez-se-me um clique. É esta a prova que eu tenho de fazer. Foi um sinal de Deus”, disse o Papa em entrevista à Rádio Renascença.

 

Os mais cépticos acreditam que o Papa não falou com Cristo, mas com Anton Krupicka. As semelhanças físicas entre os dois são evidentes. Além disso, o facebook do atleta norte-americano coloca-o na capital italiana no dia da suposta visão.

Sem Título.jpg

Face a este anúncio, os veteranos do Trail nacional já apresentaram um protesto junto da Organização do “Oh Meu Deus”. Estes estarão em competição directa com o Papa e alegam que este parte em clara vantagem: “O Papa pode separar as águas, transpondo os ribeiros sem se molhar. Além de que poderá transformar a água em isostar sempre que lhe apetecer."

ZÉ POVINHO–ATLETA

por Pedro Caprichoso, em 05.01.15

Hoje, com as redes sociais, qualquer um é atleta. Pode não correr nada, mas basta ser «finisher» do Trail de Curral de Moinas e publicar as fotos da prova no facebook para automaticamente receber o título de «Máquina». E isso é Top!

 

O Zé Povinho–Atleta alimenta-se da admiração dos outros. O Zé Povinho–Atleta sabe que correr 20km não é nada de especial, mas os elogios que recebe não são piores por causa disso. O Zé Povinho–Atleta é humilde à superfície, mas no fundo é cagão. Vive para os aplausos.

 

Achando-se atleta, o Zé Povinho–Atleta escarrapacha nas redes sociais todos os seus treinos: os quilómetros percorridos, o desnível vencido, as calorias gastas. No fim das provas, temos de levar com a foto do conjuntinho formado pelos brindes, medalha, sapatilhas enlameadas, relógio com o tempo de corrida, t-shirt de «finisher» e dorsal. Na véspera das provas, temos de levar com a foto do dorsal, acessórios, alimentação e equipamento dobrado em cima da cama. Estão a ver aquelas imagens que as televisões passam sempre que a polícia efectua uma apreensão, com a droga, as armas, os telemóveis e o dinheiro dispostos em cima de uma mesa? É a mesma coisa.

12.jpg

Farto de publicar os seus treinos no facebook, com o número de likes a cair de dia para dia, o passo seguinte passa por criar uma página de atleta no facebook. Temos, portanto, o Zé Povinho–Pessoa e o Zé Povinho–Atleta. Num dia são Pessoas; no outro são Atletas. Ao fim e ao cabo, estamos perante indivíduos bipolares que se levam muito a sério.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O UTSM 2045

por Pedro Caprichoso, em 02.01.15

1532146_635961173163614_8331680516148149374_n.pngCom a explosão da popularidade do Trail a nível nacional, muitas são as provas cujas inscrições abrem com 6 ou mais meses de antecedência – e cujas vagas depois esgotam numa questão de horas. Tal situação aconteceu recentemente com o Ultra-Trail Serra de São Mamede – UTSM. As 500 vagas para os 100km, a disputar em Maio de 2015, esgotaram, no passado dia 31 de Dezembro, em pouco mais de 18 horas.

 

Ao pagarem uma inscrição com 6 meses de antecedência, os atletas fazem, basicamente, um voto de fé. A fé baseia-se na esperança de que (1) no dia da prova terão saúde para a fazerem, (2) Portugal continuará a existir enquanto nação independente, (3) o Planeta continuará a girar à volta do Sol, (4) o Trail continuará na moda, (5) manterão o seu emprego em Portugal, (6) não serão obrigados a emigrar e (7) não precisarão de vender o seu dorsal – que tão difícil foi de obter, durante a madrugada de 30 para 31 de Dezembro. É preciso menos fé para acreditar na nossa Senhora de Fátima.

 

Não obstante a prova de fé exigida aos atletas, a Organização do UTSM anunciou ontem que as inscrições para o UTSM 2045 abrirão no próximo dia 1 de Junho de 2015. Estas inscrições destinam-se exclusivamente aos filhos recém-nascidos dos atletas que pretendam desde já garantir a presença da sua prole no UTSM 2045. Atenção: a inscrição pressupõe a apresentação de um teste de ADN para comprovar a paternidade das crianças.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D