Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

A foto que fundou o TopMáquina

por Pedro Caprichoso, em 19.02.15

ultratrail_freita_03.jpg

 

Iniciei-me no Trail por causa desta foto. Sem esta foto não havia TopMáquina. O Nuno Silva e o Pedro Marques são, portanto, os co-fundadores do melhor blog de Trail do planeta Terra e arredores. Dito isto, se o teu chefe te apanhar a ‘mijar a rir’ durante o expediente enquanto lês o TopMáquina, não te esqueças que a culpa é do Nuno Silva e do Pedro Marques. Se forem despedidos, tirem satisfações com eles.

 

Corria o ano da graça de 2011 quando me deparei com a foto acima publicada. Nela apareciam 2 desconhecidos a ganharem de mãos dadas uma prova de 70km na Serra da Freita. Confesso que isso mexeu comigo. Fiquei emocionado e as lágrimas vieram-me aos olhos. Na altura vivia na Tunísia e mostrei a fotografia ao Mouro que trabalhava comigo:

 

“Abdullah, olha para isto: estes 2 gajos fizeram 70km numa Serra próxima da aldeia onde nasci. Só é pena que tenham acabado de mãos dadas, pois isso é um bocadinho abichanado. Para o ano tenho de fazer esta prova. Der por onde der.”

 

Dito e feito. Em 2012, depois de ter regressado a Portugal, fiz a minha primeira prova de Trail – o Ultra Trail Serra da Freita, com os seus 70km e 4200 D+. Muitos chamaram-me maluco. Muitos riram-se na minha cara. Muitos aconselharam-me a fazer a prova mais curta. Muitos desses comentadores de sofá não conseguem correr 2 km seguidos.

 

12.jpg

 

A verdade é que cheguei ao fim. Sou finisher! Que é o mesmo que ser ‘terminador’, mas em inglês. Pensei em desistir umas 16 vezes, tantas quantas as quedas que sofri durante a prova. Mas não desisiti. Cheguei ao fim ao cabo de 11h30. Por essa altura, já o Luís Mota tinha tomado duche, dado 3 entrevistas e enfardado 5 bifanas.

 

Tive um ataque depois da prova – comecei a tremer como varas verdes e não sabia por quê –, fiquei o dia seguinte de cama e o dia a seguir (ao seguinte) sem me poder mexer. Valeu a pena? Claro que não. E a culpa é toda do Nuno Silva e do Pedro Marques. Foram eles que m’apegaram o bichinho do Trail. Neste momento podia estar a ver gajas boas na net e, em vez disso, estou a escrever sobre gajos de mão dada. Jamais vos perdoarei.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D