Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

As «fashion victims» do Trail Nacional

por Pedro Caprichoso, em 29.07.16

p9080355.jpg

 

Enquanto fashion victim, admito que tenho uma erecção sempre que o Zé-Povinho—Atleta adquire uma nova peça de equipamento desportivo e publica-a no facebook. As pessoas normais vêem pornografia; eu vejo o unboxing de sapatilhas. Não sei do que gosto mais: se comprar, se ver o que os outros compram. Não fico apenas satisfeito por saber que a crise é coisa do passado e que o Zé tem dinheiro para estoirar um ordenado em material. Do que eu gosto, mesmo, é de me rir com o mau-gosto de alguns atletas semi-amadores*. Há gente que precisa urgentemente de um consultor de moda. Estou disponível. Orçamento por mensagem privada. Por outro lado, há runners com extremo bom-gosto e que têm a inteligência de usar os trapos a seu favor. Exemplo: uma Maria-Povinha—Atleta pode exibir a beleza de uma hiena com leishmaniose, mas qual é o homem que lhe resiste se ela trajar de Salomon dos pés à cabeça? Pela parte que me toca, eu salto à cueca de qualquer barbie made in Salomon. Palavra de ninfomaníaco.

 

As bandoletes, as calças à boca-de-sino e os casacos com enchumaços são hoje olhados com desdém e universalmente rotulados como foleiros. Da mesma forma, é inevitável que desse triste fim não escapem alguns dos acessórios de Trail que hoje mais furor fazem nos trilhos nacionais. Se hoje são o último grito, amanhã serão motivo de riso. A única certeza no mundo da moda é que a moda passa de moda. Falou o especialista. Podem citar-me. Daqui a 20 anos, estaremos a olhar para a foto de um atleta com meias de compressão da mesma forma como hoje olhamos para uma foto dos nossos pais em finais dos anos 70. Mais acessórios de moda foleiros: viseira, manguitos, calções de basquetebol, calções de compressão compridos por baixo de calções curtos, saia de ténis, kinesio taping, calçado maximalista, telemóvel atarraxado ao ombro, GoPro atarraxada à cabeça e todo o tipo de acessórios com o vosso nome inscrito nos mesmos.

 

Para terminar em beleza esta primeira edição da rubrica de moda do TopMáquina, expliquem-me uma coisa: o que significa quando um atleta-de-pelotão agradece a uma loja de desporto? Obrigado a este, obrigado àquele, obrigado àqueloutro. Obrigado por quê? Será por ter sido bem atendido? Será por terem-lhe feito um desconto de 5%? Será por o dono da loja ser seu familiar? O paradoxo é este: fica subentendido que as lojas lhes deram de borla o equipamento por eles serem top máquinas, mas eu garanto-vos que isso não é verdade. Nem a oferta de material, nem a ilusão de que são top máquinas. Palavra de TopMáquina.

 

*Não confundir semi-amador com semi-profissional.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D