Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

Coach Precisa-se

por Pedro Caprichoso, em 02.09.16

Confira-As-Dicas2.jpg

 

Preciso de um Coach. Atenção! Não é um treinador. É um Coach. De treinadores estou eu farto. Treinador e Coach não são a mesma coisa. O Treinador treina a corrida. O Coach treina o running. Há uma linha que separa um Treinador de um Coach. É a linha que separa a vontade de correr e a vontade de fazer running.

 

Treinador é um ofício, em vias de extinção, que remonta ao século XIX. O último treinador português faleceu no passado mês de Julho. Chamava-se Moniz Pereira. Citando o Catedrático Professor de Linguística Abel Xavier, treinador é aquele que treina-a-dor. Treinador é, portanto, uma palavra que resulta de um processo de aglutinação. Dá-se a junção da palavra “treina” com a palavra “dor” e voilà o treinador. Por outro lado, o anglicismo “coach” não tem qualquer conotação com a dor. Bem pelo contrário. Coach deriva da palavra “couch”. Couch, para quem não domina a língua inglesa, quer dizer sofá. E sofá quer dizer conforto; quer dizer cochilar; quer dizer conchinha com a Maria; quer dizer sexo em doggy style. If you know what I mean.

 

 

Quero um Coach porque já tive um treinador e não gostei da sua abordagem. O tipo era doido: mandava-me correr. E eu de correr não gosto. Cansa. Embora cansado, segui as suas instruções à risca e fartei-me de correr durante 12 anos. Feito burro. E sabem o que eu ganhei com isso? Eu digo-vos: nada. Um redondo e anafado nada. Por outro lado, o meu vizinho do 5.º Esq arranjou um Coach aqui há coisa de um mês e já é patrocinado pela Compresssssssssssport. Quer dizer, não é bem patrocinado. Parece o dono da loja é amigo dele e faz-lhe um desconto de 5% para ele promover a marca. Nada mau. Bem bom. O que eu não daria para ter um arranjinho desses. Dava o cuzinho e 3 tostões num estalar de dedos.

 

Não quero um treinador que me mande correr. Não quero treinar a dor. A dor aleija. Antes quero um Coach que me valorize nas redes sociais. Quero terminar o UTCM—Ultra Trail de Curral de Moinas em septuagésimo oitavo do meu escalão e sentir que ganhei a prova. Quero sentir-me um verdadeiro campeão. Quero publicar treinos, identificar desafios, definir objectivos, traçar metas, ultrapassar limites, superar obstáculos, obter resultados, brincar com a pilinha e ter muitos likes no facebook. Quero sentir-me especial. Quero teclar banalidades até ficar com os dedos em carne viva. Basta acreditar. Somos todos campeões. Never quit. #loverunning.

 

Cuidado! Não se deixem enganar. Anda por aí muito Treinador a fazer-se passar por Coach. Treinadores com diplomas, cheios de conversa fiada. O meu dizia-me que um bom atleta só precisa de 3 coisas: treinar bem, descansar bem e comer bem. Balelas. Quantos patrocínios dá uma malga de sopa de legumes? Quantos padrinhos de provas de Trail fazem 100k por semana? Quantos administradores de páginas de atleta vão para a cama com o vitinho? Pois é. A verdade é que os Treinadores prometem resultados, mas depois nem 50 likes conseguimos com a medalha de finisher ao peito. Estou farto de Treinadores. Venham de lá esses Couchs.

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D