Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

EDV-Viana Sky

por Pedro Caprichoso, em 11.06.18

Capture.JPG

 

Segundo as nossas fontes, que andam enroladas na cama com a metade bonita da cantera da EDV-Viana Trail, a equipa de Viana do Castelo prepara-se para alterar o seu nome para EDV-Viana Sky. Confrontada com a revelação, Fernanda Verde não se descoseu e, de forma enigmática, afirmou que “Nem o sky é o limite”.

 

Ao contrário do que muitos poderão pensar, tal alteração não tem rigorosamente nada a ver com a jihad lançada pela equipa tetra-campeã nacional contra a ATRP—Associação de Trail do Rui Pinho no sentido de abandonar o Trail [do Rui Pinho] e passar a dedicar-se ao Sky Running da FCMP—Federação de Campismo e Mochilismo a Pé. Antes acontece que o presidente aurinegro conseguiu assegurar um dos maiores patrocinadores de sempre no universo do desporto nacional. Refiro-me, como já perceberam, ao conglomerado da comunicação social que dá pelo nome de Sky News.

 

Os valores do contrato ainda estão nos segredos dos Deuses, mas já sabemos que uma das cláusulas pressupõe, justamente, a altercação do nome da equipa. Dada a experiência da Sky no ciclismo, no qual as equipas sustentam o nome dos seus patrocinadores, tudo indica que a EDV-Viana Sky nascerá na tradição de equipas históricas como a Paredes—Rota dos Móveis, Sicasal—Acral, Recer—Boavista e Porta da Ravessa. Uma fonte anónima—a mesma que anda a comer o Jerôme Rodrigues ao fim-de-semana e dias santos—revelou que o contrato também prevê o fornecimento de 10.000 lotes por ano de remédio para a asma. Além disso, já andam por aí uns rumores de que o Chris Froome será o padrinho da próxima edição do Ultra Sky de Cerveira.

 

Falando um bocadinho mais a brincar, a nossa ética e integridade profissional obriga-nos a declarar que a redacção do TopMáquina está do lado da ATRP. Rejubilamos com o alargamento dos Circuitos Nacionais a mil, seiscentas e setenta e nove provas; rejubilamos com a atribuição dos títulos de Campeões Nacionais numa só prova; e brindamos ao facto de doravante se ter criado a figura do friend-card, perdão, wild-card. A primeira medida possibilita que todos os associados da ATRP tenham a possibilidade de ganhar pelo menos uma prova dos Circuitos Nacionais, uma vez que a tendência vai no sentido de haver tantas provas quanto associados. A segunda elimina a pior qualidade que um atleta da Selecção Nacional pode ter: a regularidade. Se a prova do Campeonato do Mundo é disputada numa só prova, que serventia tem a regularidade? A última é auto-explicativa.

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D