Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

TOP MÁQUINA

Eu faço Trail e sou uma Máquina. E isso é Top!

Rescaldo LouzanTrail – Parte II: A Arte de Cortar a Linha de Meta

por Pedro Caprichoso, em 29.01.19

Há muitas formas de cortar uma meta: uns saltam por cima da fita estilo Zé Miller, outros dão cambalhotas estilo macaco Adriano, uns ajoelham-se com a bandeira de Portugal aos ombros, outros agarram e arrastam os filhos contra a sua vontade. O Ricardo Silva dá dez a zero a todos eles: o robocop agarra na meta com ambas as mãos, recolhe-a cuidadosamente e dá 2 beijinhos às meninas que a seguravam pela suas extremidades. É assim em todas as provas que vence—o que, pelas minhas contas, já vai em duzentos e setenta e cinco beijinhos. A única diferença é que, se forem homens, dá-lhes um bacalhau e pergunta-lhes "Onde estão as meninas que eu pedi?" Diz-se por aí à boca cheia que essa é, aliás, a única exigência que o atleta de Barcelos faz às organizações que o convidam. Uns exigem deslocações pagas, outros cachê, outros massagistas, outros serem entrevistados pelo Joca. O Ricardo só quer duas gajas a segurar a fita de meta. É pedir muito? Eu acho que não.

 

Ricardo Silva passeou classe na Lousã. Vamos às contas: quase 44k com 3200D+ em 4h30. Estamos a falar de um ritmo ligeiramente acima de 6min/k, o que implica fazer praticamente todas as subidas em ritmo de corrida. Bicho! Desconfio que ele só tenha caminhado na segunda metade da subida em corta-fogo ao Trevim e naqueles últimos 5 metros antes da meta, com vista a segurar na dita fita e amandar dois chochos às ditas meninas. Só é pena ele depois vir sempre armado em cagão para o facebook, vomitando banalidades, agradecendo aos mesmos de sempre e cagando mais hashtags do que um publicitário com diarreia. É uma pena. Devia ser mais humilde, este menino. Só lhe ficava bem. Depois queixa-se de que ninguém gosta dele. Seja como for, não se pode negar a classe. Ainda não tinha cortado a meta e já estava a pedir uma mini à Barbara Fernandes, que deixou a pizza do André a arrefecer na caixa para assistir à chegada do Ricardo. O que vale é que o André e o Ricardo ficaram super-amigos desde aquela vez em que cortaram a meta dos Abutres de mão dada. De outra forma, ia dar merda com toda a certeza. O Ricardo é que não teve a mesma sorte. Perguntem à Ana Miranda. Só sei que o rolo da massa entrou em acção.

50745344_932817187107949_4805958496010895360_n.jpg

[Créditos: Bué de Fotos]

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D